Escolha uma Página

Há uma decisão crucial ao projetar qualquer configuração EDI com qualquer protocolo: usar EDI direto com cada parceiro comercial ou passar por uma rede de valor agregado ou VAN. 

EDI direto 

No EDI direto, também conhecido como EDI ponto a ponto, você estabelece uma conexão específica com cada parceiro de negócios usando um protocolo acordado, como o AS2. 

Redes de valor agregado (VANs) 

As VANs agem como intermediários, traduzindo mensagens EDI entre protocolos e parceiros, permitindo que você use seu próprio protocolo único, independentemente do protocolo usado por seus parceiros. 

Comparação 

Tradicionalmente, as VANs eram a única opção para transmitir mensagens EDI com segurança, mas à medida que a tecnologia EDI da web evoluía e o software EDI emergia, mais e mais organizações começaram a usar o EDI direto. Por quê? A maior razão é o custo. 

As VANs geralmente reduzem os custos iniciais de configuração, mas cobram uma taxa por cada documento, ou mesmo item de linha, processados. Dependendo do quanto você negocia com um determinado parceiro ou usa um determinado protocolo, você pode economizar dinheiro ao longo do tempo com o EDI direto. 

Os detalhes 

Mas, além da configuração inicial de uma operação EDI, há gerenciamento e manutenção contínuos. Para algumas organizações, essa manutenção pode ser cara e requer um certo nível de experiência em EDI, internamente ou por meio de um parceiro. Também existem outras considerações, como controle sobre sua configuração, requisitos de seus parceiros específicos de EDI, personalizações necessárias para uma integração mais ampla com suas ferramentas de TI e muito mais. 

Transferência de arquivo gerenciado (MFT) 

O software de transferência gerenciada de arquivos (MFT) B2B ajuda as organizações a configurar, usar, manter e processar transações EDI em andamento. O software MFT pode ser sofisticado o suficiente para lidar com tradução e vários protocolos. No RSSBus, oferecemos recursos de MFT que ajudam nesse desafio. 

Pin It on Pinterest